PORTFÓLIO A FORMAÇÃO DO PROFESSOR FRENTE ÀS TEORIAS E CONCEPÇÕES PEDAGÓGICAS CONTEMPORÂNEAS

Código: PLJH8QDTD-a-formacao-do-professor-frente
R$ 33,00
até 3x de R$ 11,00 sem juros
ou R$ 30,00 via Pagamento na entrega
Comprar Estoque: Disponível
    • 1x de R$ 33,00 sem juros
    • 2x de R$ 16,50 sem juros
    • 3x de R$ 11,00 sem juros
  • R$ 33,00 Boleto Bancário
  • R$ 30,00 Entrega
* Este prazo de entrega está considerando a disponibilidade do produto + prazo de entrega.

DESCRIÇÃO


PORTFÓLIO A FORMAÇÃO DO PROFESSOR FRENTE ÀS TEORIAS E CONCEPÇÕES PEDAGÓGICAS CONTEMPORÂNEAS 2° e 3° semestre

CURSO: PEDAGOGIA

DISCIPLINAS : •Avaliação na Educação • História da Educação • Teorias e Práticas do Currículo • Sociologia da Educação • Educação Formal e Não Formal • Práticas Pedagógicas: Gestão da Sala de Aula • Didática

POSSUI UM TOTAL DE 11 PÁGINAS

ASSIM QUE O PAGAMENTO FOR APROVADO SIGA O PASSO A PASSO A SEGUIR:

PASSO 1 . ACESSE SUA CONTA COM EMAIL E SENHA CADASTRADOS.

PASSO 2. ENTRE NA ABA MEUS PEDIDOS

PASSO 3. CLIQUE NO NUMERO DO PEDIDO.

PASSO 4. ACESSE DOWLOANDS PARA BAIXAR O ARQUIVO DOC.

A proposta de Produção Textual Interdisciplinar Individual (PTI) terá como tema A formação
do professor frente às teorias e concepções pedagógicas contemporâneas. A partir deste tema,
objetivamos promover a reflexão sobre a necessidade de o professor conhecer e efetivar teorias que
valorizam a formação do pensamento crítico, a partir da participação ativa do aluno no contexto da

sala de aula. Todavia, é preciso considerar que os indivíduos não nascem educadores, mas tornam-
se na medida em que se educam, também no contato com o outro, sendo este um processo

permanente de apropriação, mediação e transformação do conhecimento e construção da
identidade docente.
Para isso, faz-se necessário ao professor reconhecer o fenômeno educativo como um
processo relacional, contextual e intencional. Segundo Sacristán (1999), a educação “[...] não é algo
espontâneo na natureza, não é mera aprendizagem natural, que se nutre dos materiais culturais que
nos rodeiam, mas uma invenção dirigida, uma construção humana que tem sentido e que leva
consigo uma seleção de possibilidades, de conteúdo, de caminhos”. (GIMENO SACRISTÁN, 1999, p. 37).
(GIMENO SACRISTÁN, J. Poderes instáveis em educação. Porto Alegre: ARTMED Sul, 1999).
Enquanto educadores, é necessário termos conhecimento dos motivos pelos quais se ensina,
dos fundamentos que dão sustentação às exigências que permeiam a educação, das práticas que
corroboram com a efetivação do processo de ensino e de aprendizagem, no atual contexto histórico.
A contemporaneidade anuncia aos professores a urgência em reconsiderar os modelos didáticos e

pedagógicos advindos de um contexto enciclopédico, cujo esgotamento se traduz, no presente, nos
desafios destinados ao ato de ensinar e nos interesses e expectativas dos alunos.
Nota-se que o saber foi democratizado, sendo adquirido de diversas formas o que requer
mudanças na atuação docente. Frente a este cenário, o professor é também considerado um
aprendiz, porque frente à necessidade de adaptar suas práticas, de forma que ela atenda aos alunos
desta geração, precisa estar sempre em processo de aprendizagem. E ainda, cabe-lhe também ter
um perfil transformador, crítico e emancipador, aquele em que planejamento objetiva a promoção
de práticas que incentivem situações de aprendizagem. Nesta nova perspectiva educativa, a clássica
postura passiva do aluno é minimizada, para quem sabe um dia ser superada, por uma atitude de
participação e de corresponsabilidade na construção e ampliação do próprio conhecimento, sempre
com a mediação docente.
Quando pensamos na formação docente, é preciso entender que ela se dá no contexto da
formação inicial, mas tem continuidade ao longo do trabalho, sendo esta nomeada de formação
continuada ou em serviço. Ela se dá mediante os desafios que surgem no dia a dia da sala de aula,
momento em que o professor percebe a necessidade de adquirir outros saberes. Dessa maneira, a
trajetória docente é um constante processo de apropriação de conhecimentos a oportunizarem o
entendimento do cotidiano da escola e a ampliação do conhecimento dos estudantes.
A partir do que foi exposto, prossiga para a leitura e interpretação da Situação Geradora de
Aprendizagem.

CONTEXTUALIZAÇÃO
Situação Geradora de Aprendizagem

Para refletir sobre a temática em questão, tome como exemplo o caso que apresentaremos
a seguir:
Vera, uma pedagoga formada há quase vinte anos, está iniciando uma nova fase de sua vida,
aliada a grandes desafios que ainda estão por vir. Ela foi recém contratada por uma renomada rede
de escolas que se instalou em sua cidade e atende alunos da Educação Infantil e dos Anos Iniciais do
Ensino Fundamental.

Com uma estrutura bastante ampla, salas de aula diversas, laboratórios, biblioteca, salas de
leitura, essa rede de escolas é conhecida por possuir uma proposta inovadora, pois consta no seu
Projeto Político Pedagógico a relevância de superar a proposta de ensino embasada na teoria
tradicional, por uma que possibilite a formação de sujeitos críticos e atuantes no contexto social em
que se inserem. Essa instituição de ensino também considera relevante o trabalho com projetos,
sendo os professores orientados a desenvolver essa prática desde os primeiros anos da Educação
Infantil, estendendo-se aos anos seguintes.
Logo no primeiro dia de trabalho de Vera nesta instituição, a coordenadora pedagógica Regina
fez uma reunião com todos os professores para estruturar o plano de trabalho daquele ano letivo.
Neste momento, Vera se deparou com seu primeiro grande desafio, pois como sua formação ocorreu
em um período em que pouco se discutia a respeito da formação de sujeitos críticos e formas variadas
de se trabalhar em sala de aula para superar a prática pedagógica tradicional, Vera sentiu-se
apavorada, afinal, não tinha conhecimento ou experiência com o que estava proposto nesta escola.
Para ela, a estratégia de ensino e de aprendizagem mais adequada consistia em considerar as
disciplinas devidamente separadas, cada qual com seu professor e sem a necessidade de estabelecer
relação entre elas. Sua concepção de ensino está embasada na necessidade de o professor repetir
várias vezes um determinado conteúdo, porque assim o aluno memoriza e aprende. Avaliar então, é
reconhecida como uma prática que se dá ao final do bimestre, para saber se o aluno tem a nota
suficiente para ser aprovado.
No entanto, ao conversar com os demais professores da escola sobre sua experiência, todos,
inclusive a coordenadora pedagógica, mostraram-se empáticos e compreenderam a situação
conflituosa de Vera. Frente à essa situação, prontificaram-se em auxiliá-la e situá-la neste novo
cenário educativo.

Situação-problema

A escola em que Vera atua, trabalha com a perspectiva da construção de conhecimento pelo
aluno, isso significa que o professor não está no centro da dinâmica da sala de aula, mas atua com
intervenções junto ao grupo de alunos e individualmente, sempre que necessário. Nesta escola, a

coordenação realiza constantemente o acompanhamento do trabalho dos professores e ao se
deparar com a dificuldade de Vera, e de outros professores, em se adequarem às teorias e
concepções pedagógicas contemporâneas, a coordenadora pedagógica Regina propôs a realização
de um grupo de estudos.
O encontro foi agendado e na proposta de estudo foram contempladas reflexões que
pudessem contribuir na ressignificação da prática de cada professor. Para isso, a coordenadora
Regina elencou algumas temáticas, sendo elas escolhidas porque, ao estar no contato diretor com os
professores no dia a dia da escola, ela percebeu que faltava a alguns deles aprofundamento em tais
aspectos, o que acaba por interferir na organização das práticas pedagógicas que devem atender ao
contexto da contemporaneidade.
No que se refere à organização do grupo de estudos, considerando que a construção do
conhecimento se dá na relação que estabelecemos com o outro, a proposta é que os professores
discutam a respeito dos temas que a coordenadora selecionou. As temáticas são as seguintes:
1. Avaliação da Aprendizagem
• Apresentar pressupostos teóricos e práticos das concepções avaliativas: classificatória
e formativa;
2. História da Educação
• Justificar a relevância de o professor conhecer como se deu a construção do percurso
histórico da educação;
3. Currículo Escolar
• Descrever pressupostos teóricos e práticos das teorias curriculares: não crítica ou
tradicional, crítica e pós-crítica;
4. Práticas Pedagógicas: Gestão da Sala de Aula
• Expor como a gestão da sala de aula, ou seja, as práticas de ensino podem oportunizar
a melhoria da aprendizagem;
5. Didática
• Comentar a respeito da atuação docente para o desenvolvimento das aprendizagens.

Ao finalizar o grupo de estudos, a coordenadora Regina acredita que os professores,
principalmente Vera, terão mais segurança em propor práticas de ensino que atendam às propostas
contemporâneas e assim, eles terão fundamentos teóricos e práticos para estruturar o plano de
trabalho do respectivo ano letivo atendendo o que consta no Projeto Político Pedagógico da
instituição.
Dada a situação apresentada, agora é a sua vez! Coloque-se no lugar dos professores e elabore
um texto de acordo com as orientações contidas nessa situação-problema, contemplando as cinco
temáticas indicadas anteriormente, que fazem parte das discussões propostas para esse grupo de
estudos.


 

R$ 33,00
até 3x de R$ 11,00 sem juros
ou R$ 30,00 via Pagamento na entrega
Comprar Estoque: Disponível
Pague com
  • PagHiper
Selos

Portfólioo EAD - CPF: 867.655.499-43 © Todos os direitos reservados. 2021


Para continuar, informe seu e-mail